entado em sua carteira escolar, Erinaldo está imerso em lembranças de momentos difíceis que o fizeram voltar ao passado, quando há seis meses a luz e o calor intenso do sol queimava sob sua pele naquela mesma hora do dia. S
Três anos antes, quando o tio apareceu na sua casa prometendo ajuda financeira, Erinaldo nem imaginava o que iria acontecer.
Você também pode ajudar muitos meninos como Erinaldo. Não se cale diante de um caso de trabalho infantil.
Tinha onze anos na época e lembra que desejava que ao invés de uma enxada, segurasse um lápis e um caderno. Todos os dias a professora o repreendia por dormir na sala de aula, afinal, sempre foi um ótimo aluno. Conhecendo a realidade dura de Erinaldo, ela e a diretora da escola conseguiram uma ajuda financeira para ajudar a família, contanto que a única tarefa do menino fosse estudar.
Hoje, Erinaldo vive uma outra realidade. Agora, o caderno, os livros e o lápis são as únicas coisas que carrega em suas mãos.
Com promessas de uma vida melhor, foi levado para trabalhar em um canteiro de obras,
debaixo de um sol escaldante, carregando e quebrando pedras para construção.
 Denuncie para o disque 100 – direitos humanos, ou entre no site do Ministério Público http://www.portal.mpt.mp.br
entado em sua carteira escolar, Erinaldo está imerso em lembranças de momentos difíceis que o fizeram voltar ao passado, quando há seis meses a luz e o calor intenso do sol queimava sob sua pele naquela mesma hora do dia. S
Três anos antes, quando o tio apareceu na sua casa prometendo ajuda financeira, Erinaldo nem imaginava o que iria acontecer.
Você também pode ajudar muitos meninos como Erinaldo. Não se cale diante de um caso de trabalho infantil.
Tinha onze anos na época e lembra que desejava que ao invés de uma enxada, segurasse um lápis e um caderno. Todos os dias a professora o repreendia por dormir na sala de aula, afinal, sempre foi um ótimo aluno. Conhecendo a realidade dura de Erinaldo, ela e a diretora da escola conseguiram uma ajuda financeira para ajudar a família, contanto que a única tarefa do menino fosse estudar.
Hoje, Erinaldo vive uma outra realidade. Agora, o caderno, os livros e o lápis são as únicas coisas que carrega em suas mãos.
Com promessas de uma vida melhor, foi levado para trabalhar em um canteiro de obras,
debaixo de um sol escaldante, carregando e quebrando pedras para construção.
 Denuncie para o disque 100 – direitos humanos, ou entre no site do Ministério Público http://www.portal.mpt.mp.br
entado em sua carteira escolar, Erinaldo está imerso em lembranças de momentos difíceis que o fizeram voltar ao passado, quando há seis meses a luz e o calor intenso do sol queimava sob sua pele naquela mesma hora do dia. S
Três anos antes, quando o tio apareceu na sua casa prometendo ajuda financeira, Erinaldo nem imaginava o que iria acontecer.
Você também pode ajudar muitos meninos como Erinaldo. Não se cale diante de um caso de trabalho infantil.
Tinha onze anos na época e lembra que desejava que ao invés de uma enxada, segurasse um lápis e um caderno. Todos os dias a professora o repreendia por dormir na sala de aula, afinal, sempre foi um ótimo aluno. Conhecendo a realidade dura de Erinaldo, ela e a diretora da escola conseguiram uma ajuda financeira para ajudar a família, contanto que a única tarefa do menino fosse estudar.
Hoje, Erinaldo vive uma outra realidade. Agora, o caderno, os livros e o lápis são as únicas coisas que carrega em suas mãos.
Com promessas de uma vida melhor, foi levado para trabalhar em um canteiro de obras,
debaixo de um sol escaldante, carregando e quebrando pedras para construção.
 Denuncie para o disque 100 – direitos humanos, ou entre no site do Ministério Público http://www.portal.mpt.mp.br
entado em sua carteira escolar, Erinaldo está imerso em lembranças de momentos difíceis que o fizeram voltar ao passado, quando há seis meses a luz e o calor intenso do sol queimava sob sua pele naquela mesma hora do dia. S
Três anos antes, quando o tio apareceu na sua casa prometendo ajuda financeira, Erinaldo nem imaginava o que iria acontecer.
Você também pode ajudar muitos meninos como Erinaldo. Não se cale diante de um caso de trabalho infantil.
Tinha onze anos na época e lembra que desejava que ao invés de uma enxada, segurasse um lápis e um caderno. Todos os dias a professora o repreendia por dormir na sala de aula, afinal, sempre foi um ótimo aluno. Conhecendo a realidade dura de Erinaldo, ela e a diretora da escola conseguiram uma ajuda financeira para ajudar a família, contanto que a única tarefa do menino fosse estudar.
Hoje, Erinaldo vive uma outra realidade. Agora, o caderno, os livros e o lápis são as únicas coisas que carrega em suas mãos.
Com promessas de uma vida melhor, foi levado para trabalhar em um canteiro de obras,
debaixo de um sol escaldante, carregando e quebrando pedras para construção.
 Denuncie para o disque 100 – direitos humanos, ou entre no site do Ministério Público http://www.portal.mpt.mp.br